terça-feira, 25 de setembro de 2007

PIKA lança um hardware para o Asterisk

A empresa PIKA lançou um hardware compacto para os desenvolvedores implementarem uma solução baseada no Asterisk, para as pequenas e médias empresas.


Este produto trabalha tanto com troncos analógicos como VoIP. Para o VoIP, este produto pode chegar a uma combinação de até 100 troncos (FXO) e telefones. Cada unidade vem equipado com 1 porta para telefone analógico (FXS) e pode ser expandido para até 8 portas adicionais.

O produto PIKA Appliance para o Asterisk inclui:
- até 100 troncos IP/portas para telefones
- 1 porta FXS em cada unidade
- até 8 portas adicionais analógicas FXO/FXS
- porta Ethernet e USB
- display 2x20 LCD
- processador embutido poderoso
- memória flash SD

Este produto possivelmente estará disponível no primeiro quadrimestre de 2008.

Fonte: TMCNet

O notebook virou telefone

Não é fácil saber em que parte do mundo está o paulista Cláudio Martins, diretor de tecnologia da informação da General Motors para América Latina, África e Oriente Médio. Seu endereço mais freqüente são aeroportos em cidades tão distantes entre si como Detroit, nos Estados Unidos, e Frankfurt, na Alemanha. Onde quer que esteja, porém, Martins sempre responde a chamadas feitas para o telefone fixo instalado em sua sala no escritório da companhia em São Caetano do Sul, na Grande São Paulo. Aparelhado com um notebook e um fone de ouvido, ele faz parte de um grupo de profissionais que hoje carregam em tempo integral um dos mais novos aparatos corporativos de comunicação: um sistema capaz de receber e fazer chamadas pela internet. Trata-se de algo semelhante a mecanismos como o do Skype. A diferença é que o sistema adotado por empresas como a GM é mais sofisticado e adaptado ao uso corporativo (com segurança capaz de rastrear grampos, por exemplo). Por meio desse sistema, Martins pode ser encontrado até por interlocutores inesperados - e não apenas pelo chefe ou por colegas de trabalho. Recentemente, ele atendeu à ligação de um encanador que havia sido chamado às pressas pela empregada que trabalha em sua casa para resolver um vazamento. "O detalhe é que eu estava em Londres, prestes a ir para a cama", diz ele.

Hoje, um time de 1 000 funcionários da subsidiária brasileira da GM - de vendedores que viajam o país a diretores que percorrem o mundo - usa um sistema de voz sobre IP móvel em seu notebook. Os primeiros testes começaram há três anos e, segundo Martins, logo os benefícios convenceram a diretoria a espalhar o sistema pela empresa. A comunicação por VoIP (voz sobre IP) móvel mostrou-se mais eficiente até mesmo do que os celulares, que costumam ter problemas de cobertura em alguns aeroportos e regiões do mundo. Outra vantagem é que todos podem conversar de graça entre os ramais. O sistema também torna visível, numa lista atualizada em tempo real, quem da empresa está ocupado ou não para conversar. "É tudo muito prático", diz Martins. "Disco apenas o ramal, em vez do número inteiro, e não tenho de me preocupar em digitar códigos internacionais para encontrar outros colegas em viagem."

Apesar das facilidades, o sistema ainda é empregado por poucas empresas no país e no mundo - sobretudo porque exige investimento em tecnologia e certa mudança cultural por parte dos funcionários. "A explosão do uso da tecnologia ainda não aconteceu, mas é uma forte tendência para os próximos anos", afirma Júlio Puschel, analista sênior do Yankee Group no Brasil. Estimativas indicam que o mercado de VoIP móvel vai quadruplicar até 2010 e movimentar 12 bilhões de dólares por ano apenas na Europa. Lá fora o mecanismo é usado, por exemplo, pelo Bank of America e pela chinesa Shanghai General Motors, associação entre a Shanghai Automotive Industry Corporation e a GM dos Estados Unidos. Fornecedores dessa tecnologia, como Cisco, Avaya e Siemens, também já adotaram o conceito.

É possível conectar-se ao VoIP móvel de qualquer lugar que ofereça acesso à internet banda larga, seja por meio de conexão cabeada, seja por redes sem fio, como as de cafés e aeroportos. Antes disso, porém, a empresa precisa instalar uma rede de PABX IP, para que todo o seu sistema de ramais fixos se comunique pela internet. Segundo estimativas de mercado, o custo médio para migrar para um sistema desse tipo é 300 000 reais, no caso de uma grande empresa. O investimento, porém, acaba compensando. Como a ligação entre ramais tem custo zero, os gastos com telefonia podem diminuir em até 30% numa grande empresa - um dos argumentos mais convincentes para estimular os executivos a abandonar o hábito de tirar o telefone do gancho para falar com o colega, seja na Índia, seja no andar de baixo do mesmo prédio.

Em alguns casos, a tecnologia é a única maneira de manter funcionários conectados em cidades mais remotas. A Alcoa, por exemplo, instalou o sistema de comunicação por notebook há dois anos para dez executivos que viajam bastante ou que estão alocados em regiões onde a cobertura das operadoras de telefonia celular ainda é precária. Um dos executivos que fazem parte dessa equipe é Nilson Souza, vice-presidente da divisão de produtos primários da Alcoa. Recentemente, Souza tem viajado com freqüência para Juruti, no Pará, de onde coordena a abertura de uma mina de bauxita na região. Dali, ele usa o seu notebook para participar de conferências via VoIP e transforma a sua máquina num escritório ambulante. Com a integração de diferentes tecnologias, em meio à floresta Amazônica dá para ligar a câmera, iniciar uma videoconferência e até mostrar uma apresentação feita em PowerPoint ao colega do outro lado. A qualidade do som, de acordo com Souza, é boa e nítida -- diferente de quando começou a usar o sistema, cerca de dois anos atrás. "Naquele tempo, havia eco e atrasos", afirma ele. "Agora não temos problemas desse tipo."

Fonte: InfoOnLine

Ericsson testa web móvel em áreas rurais

SÃO PAULO - A Ericsson está testando o uso de redes móveis para levar o acesso à internet de modo econômico para áreas rurais do mundo.

A idéia é levar o acesso à internet a regiões remotas do mundo, onde seria mais caro construir redes com cabos de fibra óptica do que implementar redes móveis.

Este mês, a fabricante nórdica vai construir uma rede no padrão móvel WCDMA/HSPA na região de Chennai, na Índia. A rede terá alcance para atender 18 vilarejos e 15 cidades da região.

Segundo a Ericsson, a rede permitirá levar às vilas isoladas programas de ensino à distância, TV pela internet e ferramentas de VoIP, além de acesso banda larga à internet.

A fabricante afirma que o padrão WCDA/HSPA apresenta a melhor relação custo/benefício para atender regiões isoladas no mundo. A solução HSPA , diz a Ericsson, oferece velocidades para download de até 14,4 Mbps e de upload de até 1,4 Mbps.

Segundo a Ericsson, os usuários poderão receber dados a uma velocidade em média 20 vezes mais rápida do que uma conexão GSM/GPRS. Evoluções futuras poderão aumentar a velocidade HSPA para download para até 42 Mbps, com upload de até 12 Mbps, avalia a desenvolvedora. A Ericsson possui equipamentos HSPA para várias freqüências de 850 MHz até 2,6 GHz.

Fonte: INFO OnLine

quinta-feira, 20 de setembro de 2007

Lançado o Voix Phone 1.0

Voix Phone é um softfone IAX/IAX2 multiplataforma, derivado do produto Voix Manager, uma poderosa interface de Call Manager para o Asterisk.


Voix Phone é útil para aqueles que precisam de um softfone simples mas com funções avançadas e é distribuído gratuitamente para uso pessoal.

Baixe o manual do usuário aqui.

Faça o download aqui:
- para Windows
- para Linux

Fonte: Voix.it

Google prepara o lançamento do gPhone

A Google prepara o lançamento do GPhone, seu modelo de telefone móvel que competirá com o iPhone da Apple.

Pensando melhor: é um telefone ou um computador?

A Crunchgear já adiantara alguns detalhes do brinquedo: com lançamento previsto para o início de 2008, o gPhone teria GPS embutido e já incorporaria Google Maps e Google Talk. Isso significa que o gPhone utilizaria tecnologia VoIP

A engadget acrescentou mais detalhes: o gPhone utilizaria um sistema operacional próprio, baseado no Linux, desenvolvido pela Android, uma empresa comprada pela Google há dois anos. Ainda segundo a engadget, a Google estaria terceirizando a produção do hardware, e se concentrando no que faz melhor: o software e sistemas que rodarão no aparelho.

Há rumores de que a Google, que até agora não se pronunciou oficialmente, faria anúncios na próxima segunda-feira, feriado nos Estados Unidos.

Fonte: Under-Linux

Qual é o melhor modelo regulatório para VoIP?

Até o momento, a Anatel preferiu não regulamentar a oferta do serviço de VoIP. Mas, será esse o melhor modelo a ser aplicado no Brasil? Esse e outros temas ligados voltados para a discussão sobre a evolução regulatória da plataforma IP serão debatidos no painel "Modelo de Negócio em VoIP em face da Regulamentação Vigente", no IP Communications Brasil 2007, evento que acontecerá de 06 a 08 de novembro, na capital paulista.

O painel, que será realizado no dia 07 de novembro, de 14:45 às 15:30hs, contará com a participação de representantes de entidades e provedoras de serviços ligados à oferta de VoIP. Uma das questões mais emblemáticas da discussão é a liberação - até agora não definida pela Anatel - de um plano de numeração específico para as empresas que solicitaram as licenças de SCM - Serviço de comunicação Multimidia.

Essa era uma das determinações do SCM quando do seu lançamento, mas o Conselho Diretor da Anatel possui dúvidas sobre a necessidade de conceder essa numeração, principalmente, porque há um interesse também das provedoras em conquistar as licenças de Serviço de Telefonia Fixa Comutada.

Nos Estados Unidos, a maior provedora VoIP do País, a Vonage, enfrenta uma grave crise financeira em função da força de Poder Dominante de Mercado que as operadoras tradicionais impuseram ao setor com relação à interconexão de redes.

Aqui no Brasil, a postura das concessionárias ainda não radicalizou, mas muitas já começam a admitir que VoIP influencia nas suas receitas de voz.

Fonte: Convergência Digital

Telcomp lança selo para regular operadoras de VoIP

As empresas de VoIP passarão a ter um selo de qualidade. O anúncio
foi feito por Luis Cuza, presidente da Telcomp (Associação Brasileira
das Prestadoras de Serviços de Telecomunicações Competitivas). "Há
muitas companhias de VoIP, mas são poucas de alta qualidade", afirma.
Segundo o executivo, o selo será anunciado em novembro deste ano e as
fornecedoras serão auditadas pela Underwriters Laboratories (UL).

Cuza alfineta o mercado, declarando que a oferta de voz sobre IP
ficaria mais enxuta. "Cerca de 70% das empresas não passariam no
teste, pois muitas não têm controle do processo de qualidade
interno", diz. E complementa: "queremos que os usuários brasileiros,
principalmente os domésticos, reconheçam as empresas de VoIP e saibam
que fornecedores estão contratando".

O presidente da Telcomp adiantou quais serão os requisitos para
passar no avaliação. É necessário que a fornecedora ofereça suporte
24x7; as companhias deverão ser legalizadas (CNPJ, bem como pagamento
dos impostos em dia) e licenciadas pela Anatel, juntamente com seus
aparelhos.

Cuza afirmou que a Anatel não tem nenhuma relação ou parceria com o
selo. "O que estamos fazendo é deixar o mercado mais estreito para
que a regulamentação do VoIP seja concretizada", conclui.

Fonte: Convergência Digital

sábado, 15 de setembro de 2007

Innovus lança solução para cartão pré-pago VoIP

A Innovus, empresa especializada em desenvolvimento de soluções VoIP e Asterisk lançou uma solução para cartões pré-pagos VoIP.

Agora você já pode oferecer aos seus clientes a oportunidade de realizarem ligações em seu próprio estabelecimento, a um valor muito mais econômico do que nas operadoras convencionais de telefonia, como Embratel, Telemar, Brasil Telecom, Telefônica e ganhar muito dinheiro com as ligações realizadas pelos seus clientes. Para isto, basta ter uma Internet de banda-larga em seu estabelecimento e adquirir esses cartões pré-pagos VoIP.

Como funciona o cartão pré-pago VoIP?

Sua empresa irá vender os cartões aos seus clientes com valores pré-definidos, de R$ 15, R$ 30 e R$ 50.

De posse desse cartão, que possui uma conta e senha impressos, o cliente, dentro de seu estabelecimento, acessa um telefone VoIP conectado a Internet e digita os dados do cartão (conta e senha) diretamente no telefone e então o sistema libera para efetuar as ligações.

Todo o controle do saldo é realizado pelo NetPBX® Billing e o sistema sempre informa o saldo disponível ao realizar a ligação. Também é possível visualizar o extrato das ligações realizadas, basta acessar o site do NetPBX® Billing (http://billing.netpbx.com.br) e digitar a conta e senha contidos no cartão.

O cartão pode também ser recarregado a qualquer momento, tornando mais ágil e eficiente a venda, não sendo necessário gerar um novo cartão a cada recarga dos clientes.

Para maiores informações, consulte o site do produto Netpbx Billing

sexta-feira, 14 de setembro de 2007

Magiclink lança Hybird IPPBX System baseado no Asterisk

A Magiclink apresentou um sistema baseado em Linux/Asterisk, utilizando uma placa fabricada por eles mesmos, para ambientes que exigem grandes quantidades de portas.

A figura acima mostra o produto desenvolvido por eles, onde constam (da esquerda para a direita): 1 E1/T1, 8 placas com 12 FXO, LAN 10/100MB, Placa CPU e porta serial.


Ambiente de teste

Foi criado um ambiente de teste com diversos telefones para simular uma situação real para avaliar a qualidade do produto.

Vista interna das placas instaladas.

A configuração utilizada do equipamento acima:
- CPU P4 3.0
- RAM 512MB
- Disco 256DOM
- Placa digital 1 E1
- Placa analógica: 8 placas com 12 portas cada totalizando 96 portas
- Telefones analógicos: 50

A máquina trabalhou estável através dos seguintes testes:
30 telefones analógicos --> IPPBX -> E1 -> outro Asterisk -> música de espera
20 telefones analógicos --> SIP --> outro Asterisk -> telefone SIP
50 telefones analógicos --> tocando todos (RingAll)

Fonte: Voip-info.org